O meio é sempre melhor que o fim. Pois por mais que o fim seja bonito ele é sempre previsível. A graça não está em saber se as coisas vão acabar bem ou mal, mas sim quais os caminhos serão percorridos até que isso aconteça. É no meio que tudo dá certo e quando você está certo que acabará assim tudo muda. Ou que nada parece certo e quando aquela pessoa aparece tudo muda novamente.
Portanto é nessa imprevisibilidade que está a graça. As coisas se tornam mais especiais quando não esperamos por elas. Por isso acho que o mais bonito sempre está por vir e estou certo que não tenho a mínima idéia de como e quando isso acontecerá.

5 comentários:

.raphael. disse...

Graaande Léo!
Parabéns ae cara... vai fundo..escrever além de ser uma arte, faz muito bem!!

abraço!

eupatriciamesmo disse...

Olá!
bem legal o q vc escreveu...
Lembrou-me "A terceira margem do rio", de Guimarães Rosa.
Um dia escrevo sobre isso tbm.

Cheguei até aqui por link no blog do Rapha.

beijo!

.raphael. disse...

o leo.. nao tenho a historia nao!
vou te add no msn.. dae vc me manda!

inté!

Ivan disse...

Hhaeiheai, trecho inspirado em Lisbela e o Prisioneiro heim!

Si disse...

Meu pensamento em outras palavras.
Adorei!