... Naquele momento tudo conspirava a favor. Os receios viraram anseios. Os olhos, olhares. Os braços, abraços. As bocas, o beijo. Estava marcado o recomeço de uma estória que acabou de começar.

Depois das reviravoltas dos últimos tempos, qualquer dia parecia comum (como um dia qualquer). Recordar tudo que havia acontecido era inevitável. Cláudio sabia que o problema não era viver lembrando os momentos vividos, e sim, viver apenas para lembrar dos momentos vividos. Depois da tempestade que criaram e passaram juntos, a ordem agora era cultivar e não passar pela calmaria que atravessavam. Esta que acabou se estendendo também ao trabalho de Cláudio. Para ele, ficar sem fazer nada no serviço era tão “chato” quanto ter de fazer alguma coisa nas férias. O dia continuava descontínuo até ele ser chamado na sala de seu chefe; Roberto.
-- Cláudio. Vou ser bem direto com você. Como recompensa pelos seus últimos trabalhos, decidimos te dar a chance de fazer um estágio por 3 meses na CE9, a maior agência de publicidade de Paris. Pretendemos que você parta antes do natal. Já estamos em dezembro, por isso preciso da resposta em até duas semanas.. Bom; estou atrasado pra uma reunião. Pense bem hein!
Realmente Roberto havia sido muito direto. Indiretamente, Cláudio se mostrava surpreso e feliz ao mesmo tempo. Se pudesse, talvez ele decidisse receber essa proposta um pouco depois. Mas o fato era que Roberto aguardava uma decisão o quanto quanto antes. Da tempestade que passara com Carol, só lhe sobrou um copo d’água em cima da mesa e uma nova decisão a tomar. Com o desejo de “fazer a coisa certa”, ele não conseguia fazer outra coisa além de pensar: “E agora, o que eu faço?”.

0 comentários: