... Em contrapartida, se sua resposta fosse “sim” ela poderia compartilhar com Luís uma vida totalmente diferente daquela que viveram até agora.

Os dias passavam rápido demais para quem tinha a intenção de adiar ao máximo uma decisão. Ana vivia o segundo dilema de sua vida. O primeiro foi ter de optar entre continuar a faculdade no Brasil ou abandoná-la na metade para se dedicar por inteiro a um desejo que completaria sua vida. Nesta primeira ocasião Ana escolheu a segunda opção e mudou-se para Paris. Na ocasião atual, uma saída era não sair de Paris e a outra era voltar ao Brasil e sair definitivamente da vida de Luís. A chegada de sua mãe significava para Ana um possível aumento nas possibilidades de resolução do problema. Impaciente por ter guardado um segredo por todo o tempo em que aguardava sua mãe, Ana não conseguiu esperar e ainda entre um abraço e algumas lágrimas desabafou.
-- Não sei mais se quero continuar aqui mãe. Não tenho mais sequer vontade de trabalhar ou fazer qualquer outra coisa.
-- Minha filha! Você sabe que desde que saiu de casa nós sempre esperamos de braços abertos pela sua volta. Está tudo como você deixou. A única coisa que muda e que não nos deixa é a saudade que sentimos de você.
-- Eu também sinto!
-- Mas e o Luís? Ele sabe da sua pretensão?
-- Esse é o problema e ao mesmo tempo uma possível solução. O Luís me pediu em casamento e se eu aceitar vou ter que continuar aqui..
-- Que surpresa boa Ana! Das outras vezes em que estive aqui sempre tive uma ótima impressão dele. Aquela busca incessante em conseguir se estabilizar profissionalmente sempre foi um bom indício de que ele te daria um ótimo futuro. Mas existem outros pontos. Precisamos ter uma conversa a três.
-- Mãe! Queria que você me aconselhasse o que fazer e não que fizesse nada por mim!
-- E eu não vou fazer. Mas antes de conversarmos quero sentir se as intenções dele são as mesmas que seu pai tinha quando me pediu em casamento.
-- Ai meu Deus!
A mãe de Ana parecia se transformar quando o assunto era casamento. Pelo fato de ter se casado há mais de trinta anos e o seu amor pelo marido ser inversamente proporcional a todo esse tempo, Joana via aquela situação como uma grande oportunidade de sua filha garantir o seu futuro.

3 comentários:

Ricardo Guedes disse...

Po Leo, agora sim vc "embolou o meio de campo"...
A mae dela, que chegaria como solucao para Ana, acho q a confundiu mais ainda, ao querer falar com Luis. Acho q, se ela sentir q a intecao dele eh dar a ela uma vida estavel e feliz, ela aconselhará a filha a casar sim. Caso contrario, fara questao de aprontar as malas da garota e voltar pro Brasil. E se ela voltar, Luis largará tudo e correrá para os bracos da amada? ou abdicara de seu amor?

Po, ja to tendo inumeras interpretacoes.. nao da pra adivinhar nada, ainda...

abs

Robertinho disse...

A Ana parece ter um gênio forte, e provavelmente irá contra a opinião da mãe. Que por sinal, é uma ótima personagem, haha!

Grande, Léo! E que venham mais personagens! Abs!!

Robertinho

.raphael. disse...

Estou atrasado com a estória! Enão vou dar meu ponto de vista aqui! Espero que a Ana fique em Paris!

Há coisa melhor que morar na Europa e visitar o Brasil!?

Provavelmente não!hahaha

é isso ae Léo!