... Pelo fato de ter se casado há mais de trinta anos e o seu amor pelo marido ser inversamente proporcional a todo esse tempo, Joana via aquela situação como uma grande oportunidade de sua filha garantir o seu futuro.

Dentre todas as suas angustias, a maior delas para Ana era estar entre Luís e Joana para ter a tão aguardada conversa. Todas as desculpas que Ana encontrou para ocupar o tempo de sua mãe se esgotaram. O mês de dezembro já estava na metade e faltavam poucos dias para que Joana voltasse ao Brasil. Havia chegado o momento mais aguardado para ela e menos aguardado para sua filha. Luís nem imaginava o que estava pra acontecer. Aproveitando o fato de todos estarem pela primeira vez reunidos no café de domingo, Joana não pensou duas vezes e iniciou a conversa:
-- Pois bem Luís. Ana me disse sobre suas intenções com ela. O que eu quero saber é o que você pretende daqui pra frente. Continuar aqui para o resto da vida, voltar ao Brasil, construir uma família...
-- Nossa Joana! Eu pretendo me casar com ela e manter tudo exatamente como está. Claro que se quero me casar é porque acho que Ana é a mulher da minha vida e eu não me imagino vivendo sem ela.
-- E você Ana?! Diga alguma coisa!
-- Eu não sei mãe. O Luís sabe que eu gosto muito dele, mas ...
-- E quanto a voltar ao Brasil? – Joana indagou
-- Voltar ao Brasil? Você não me disse isso Ana!
-- Pois é. Ia te dizer antes de você me pedir em casamento. Agora parece que a decisão de ir acaba deixando implícito que eu não quero ficar com você. Eu não sei se posso ou quero fazer isso. Esse pedido colocou tudo em uma dimensão muito maior.
-- Olha Ana, se você rejeitar o pedido será...
-- Você não vai fazer isso não é filha?!
-- Só um minuto dona Joana. Então, se você rejeitar, vou entender a sua resposta negativa também como um “não” para a nossa relação. Portanto, pense bem.
Nada aconteceu como Ana planejava. A idéia de “dar as mãos” a sua mãe e se apoiar nela para escolher o melhor caminho havia falhado. Agora estava tudo em suas mãos. Luís esperava uma decisão. Joana se desesperava com a indecisão de Ana. Enquanto ela se via em uma situação completamente diferente e inesperada naquele instante.

3 comentários:

Ricardo Guedes disse...

é.. olha só o q a indecisao causa em uma pessoa.. agora, em vez da mae ajuda-la a resolver, acabou atrapalhando e colocando mais duvidas na cabeca de Ana... voltar ou nao voltar? casar ou nao casar? e se ela volta e deixa pra tras o homem da sua vida? e se ela fica e o casamento nao da certo?
e se ela volta e encontra outra pessoa? qtas duvidas para um momento como este...
pra mim, se ela tem duvidas, ela nao deveria se casar, senao, ja teria aceitado o pedido logo de cara, mas...

abraco!

Thais G. disse...

Vc quem escreve os contos!
Muito bons viu...

Passando aqui pra deixar minha marquinha no teu blog!

abraços!

.raphael. disse...

Escolhas e caminhos!

Dilemas da vida! Sempre! De todos!

abs