A gente acabou subindo pro terraço do prédio, ela ainda um pouco bêbada e eu sob o efeito de tudo que tinha passado. Sentamos no parapeito e passamos uns 10 minutos sem dizer nada. Aquele vento nos impedia de abrir bem os olhos e eles acabavam sempre voltando-se para baixo, onde os carros se enfileiravam.

-- Você quer realmente tentar descobrir o que aconteceu semana passada? – ela disse   

-- Na verdade não. Só quero tentar descobrir como você pôde me trair?

-- Não tenho mais tanta certeza sobre a gente. Não sei se é isso que eu realmente quero pra mim.

- Percebi isso há um tempo. As vezes tinha a impressão que você só me beijava da boca pra fora. Você sempre foi assim, nunca se dedicou completamente, nunca esteve disposta a viver isso incondicionalmente. Porque você não pula?

-- Eu já pulei. O problema é que as vezes não consigo distinguir se eu to voando ou se eu to caindo.

-- Tá. Então continuamos ou paramos por aqui?

-- Paramos. E continuamos por aqui.

FIM

0 comentários: