-- Então fala que nunca mais.


-- Não. Nunca mais não dá pra falar.

-- O problema é que assim eu vou ficar alimentando algumas esperanças que só você sabe se são falsas.

-- Então não as cultive.

-- Não dá! Pois viver sem ter você eu consigo, agora viver sem a esperança de te ter é impossível. É como jogar uma moeda várias vezes pra cima e descobrir que ao invés de viciada, ela na verdade tem os dois lados iguais.

1 comentários:

Gabriela disse...

Nunca mais é tanto tempo; e algumas moedas demoram a cair, quando caem.
Como sempre, lindo o diálogo, Léo!