Ultimamente eu tenho pensando muito na criação de um novo modelo de colaboração. Algo em que as pessoas agiriam apenas em benefício próprio e mesmo assim beneficiariam muitas outras. Por exemplo: quando o trânsito para bruscamente em uma rodovia ou avenida, os motoristas, de uma forma geral, não ligam o pisca alerta para generosamente fazer o bem a quem vem atrás, mas sim para evitar que tenham o seu carro amassado. Independentemente do motivador, ele acaba evitando a colisão de um motorista desatento que estava distante do seu carro e que portanto não lhe ofereceria risco algum.

Uma ideia inicial seria tentar demonstrar a um adulto que investir em uma criança em situação de risco social evitaria que ele ou o seu filho viessem a ser lesados por esta criança algum dia. Ainda é um esboço, algo fora de foco, mas pode ser um caminho.

0 comentários: